Clínica Zenha Blog

Saúde Oral

Sensibilidade Dentária – tudo o que precisa saber

Já alguma vez sentiu dor e/ou desconforto nos dentes ao ingerir alimentos frios ou quentes? Então este artigo é do seu interesse.

A sensibilidade dentária é um problema de saúde oral muito comum. Embora se manifeste de forma variável, surge predominantemente como uma dor aguda de curta duração e momentânea. Em alguns casos os sintomas podem desaparecer gradualmente sem necessidade de qualquer tipo de intervenção. Contudo, noutras situações mais severas pode causar um grande desconforto, podendo mesmo condicionar os hábitos de higiene oral e verificar-se a necessidade de um tratamento adequado.

Atualmente, são identificáveis várias causas para o surgimento desta condição sendo, por isso, possível controlá-la eficazmente. Vejamos então quais as principais causas desta dor e como agir por forma a preveni-la e tratá-la adequadamente.

Como já referi, a sensibilidade dentária é uma condição oral dolorosa que varia de dor leve a insuportável e de curta duração que surge quando há uma exposição da dentina (camada interior do dente). A dentina é constituída por uns túbulos que fazem a ligação do nervo (no centro do dente) ao meio externo. Assim, quando estes túbulos estão desprotegidos e recebem certos estímulos reagem provocando dor. Os estímulos responsáveis pelo desconforto são, tipicamente, térmicos (frio e/ou quente), mecânicos/tácteis e até químicos (doces e ácidos).

Quais as causas? A exposição da dentina pode ocorrer por diversos fatores, sendo os mais comuns:

  1. Escovagem incorreta: Ao utilizar uma escova de dentes com cerdas duras ou higienizar com demasiada pressão corre o risco de desgastar o esmalte dentário e provocar uma recessão gengival, aumentando a possibilidade de exposição da dentina.
  2. Placa bacteriana: A presença de placa bacteriana ao redor do dente e junto à gengiva provoca inflamação dos tecidos gengivais. Se esta inflamação se agravar pode causar perda óssea e recessão gengival que, consequentemente, irá expor a dentina.
  3. Doenças gengivais: A Gengivite e a Periodontite manifestam-se pela inflamação dos tecidos gengivais que podem conduzir à perda das estruturas de suporte do dente, deixando as raízes dentárias e a dentina mais suscetíveis e vulneráveis.
  4. Pastas dentífricas abrasivas: Algumas pastas disponíveis no mercado contêm agentes abrasivos (sílica) que pode causar desgaste da estrutura dentária podendo agravar ou desencadear a sensibilidade dentária.
  5. Elixires: O uso excessivo de alguns tipos de elixires (acídicos e com álcoois) podem agravar o desconforto.
  6. Cáries: As cáries num estado mais avançado podem afetar a dentina, aumentando a sensibilidade dentária. Se estas lesões se localizarem junto à gengiva, mais facilmente atingem a dentina.
  7. Alimentos e/ou bebidas ácidas ou açucaradas: A ingestão de alimentos ou bebidas com elevada acidez (citrinos, tomate, refrigerantes,…) podem provocar a erosão do esmalte dentário que, consequentemente, irá expor e fragilizar a dentina.
  8. Tratamentos dentários recentes: Alguns tratamentos podem causar uma sensibilidade dentária temporária como, por exemplo, o branqueamento dentário, destartarizações e restaurações.
  9. Dentes partidos e/ou reabilitações danificadas: Além da sensibilidade expectável pela maior exposição da raiz e/ou dentina, pode ser um local de maior acumulação bacteriana e, consequentemente, provocar inflamação dos tecidos gengivais e da polpa do dente, causando dor.
  10. Bruxismo: Ranger os dentes pode desgastar o esmalte, expondo a dentina do dente.

Então, como podemos prevenir? São várias as terapêuticas disponíveis para prevenir e tratar a sensibilidade dentária que, dependendo do caso, permitem atenuar ou até mesmo resolver os sintomas.

Ter sensibilidade dentária não se traduz num consequente tratamento desconfortável e complicado. A verdade é que muitos casos podem ser facilmente resolvidos através de uma boa higiene oral com uso de uma pasta dentífrica adequada. Além disso, é de relembrar que os próprios constituintes da saliva também ajudam na remineralização do esmalte dentário.

A escolha de uma escova de dentes é muito importante. Deve usar uma escova com cerdas intermédias ou até mesmo macias, desta forma minimiza o desgaste dentário e o trauma gengival.

Os dentífricos também devem ser adequados às necessidades do próprio individuo. Pessoas com sensibilidade dentária devem evitar, por exemplo, pastas dentífricas com agentes branqueadores e utilizar dentífricos com propriedades dessensibilizantes, uma vez que têm como objetivo obstruir os túbulos da dentina de forma a evitar a propagação da dor.

Caso o desconforto precista e a dor se mantenha contínua, deverá consultar o seu médico dentista para que possa descobrir a causa, colmatar eventuais maus hábitos que possam estar na origem da dor e, assim, resolver o problema adequadamente. Os tratamentos poderão passarpela aplicação de vernizes de flúor ou outros dessensibilizantes, restaurações e, em casos mais extremos, poderá ser necessário a desvitalização do dente.

Já diz o ditado, é melhor prevenir que remediar. Para tal, tenha em nota as possíveis causas (enumeradas acima), faça uma correta higiéne oral e visite regularmente o dentista, aconselhando-se e seguindo as recomendações de como prevenir e/ou tratar a sensibilidade dentária.

Dra. Raquel Brandão Carvalho

CONSULTA DE AVALIAÇÃO

Categorias

Marcar Consulta

MARQUE A SUA CONSULTA DE AVALIAÇÃO